Como devemos tratar da nossa saúde oral em quarentena?

Em tempos de quarentena, em que todas clínicas dentárias se encontram encerradas e autorizadas apenas a realizar consultas comprovadamente urgentes, surge uma necessidade aumentada de redobrar os cuidados de saúde oral, principalmente para aqueles pacientes que se encontram a meio de planos de tratamento.
No sentido de ajudar, resolvemos elaborar uma série de conselhos que visam sobretudo orientar os nossos pacientes que se encontram nesta situação.

Pacientes com aparelho dentário

Apesar de uma forma mais lenta, o tratamento ortodôntico nunca pára na realidade, portanto não há motivos para preocupação nesse sentido.

No entanto, tendo em conta que os componentes do aparelho (como fio e elásticos) não são substituídos há algum tempo, há uma maior propensão para acúmulo de placa bacteriana em torno deles, aumentando o risco de cáries e desmineralizações dentárias.

Como contornar isso? Reforçar a higiene oral, com a utilização de uma pasta dentífrica com flúor, passar fio dental e elixir 3 vezes ao dia.
Para além disso, é importante redobrar os cuidados na mastigação de alimentos duros dado o risco de descolar algum componente do aparelho, gerando uma urgência evitável.
Agora, mais do que nunca, é altura de levar à risca todas as recomendações dadas especialmente no início do tratamento.

No caso de estar a utilizar elásticos, basta manter o esquema de utilização combinado na última consulta, sendo que caso o saco de elásticos acabe, basta entrar em contato connosco para procedermos à entrega de mais, mediante horário a combinar.

No caso de um tratamento com Alinhadores invisíveis (Invisalign/Smilers), basta seguir o esquema de troca de alinhadores consoante o as indicações dadas na última consulta, sendo que serão contactados pela clínica para entrega dos alinhadores seguintes.

Pacientes que realizaram recentemente cirurgias de implantes, enxertos ou extrações dentárias

No caso de ter realizado recentemente uma cirurgia, siga rigorosamente os cuidados pós-operatórios e a medicação prescrita pelo Médico-Dentista.

Esses cuidados englobam alimentação mais mole e fria e aplicação extra-oral de gelo intercalada de 15 em 15 minutos, nas primeiras 48h. O aparecimento de algum edema (inchaço), consoante o tipo de cirurgia realizada, é normal e não deve ser motivo de alarme.
Por vezes verificará o aparecimento de um tecido esbranquiçado na região da cirurgia que corresponde a tecido de cicatrização, sendo também ele normal. O mais importante nesta fase é manter uma higiene oral cuidada com escova pós-cirúrgica (cerdas muito macias) e seguir a medicação prescrita para controlo da dor, inflamação e infecção. No prazo de 1 semana será contactado para remoção das suturas, caso se aplique ao seu caso.

Pacientes em processo de tratamentos estéticos, como colocação de facetas e que de momento se encontram com os provisórios

Se se enquadra neste cenário, deverá evitar comer alimentos duros e ter especial atenção na mastigação, sob risco de fratura e/ou descolagem dos provisórios. Tendo em conta que é um material frágil, é altamente provável que mais cedo ou mais tarde, mesmo com todos os cuidados, algum provisório frature, sendo que essa probabilidade aumenta com o passar do tempo.
Na eventualidade de isso acontecer, é muito importante redobrar cuidados de higiene dado que os seus dentes estão mais susceptíveis ao aparecimento de cáries derivado da preparação que sofreram para a colocação das facetas (mas fique tranquilo(a), depois da adesão das facetas, essa susceptibilidade desaparece). A fratura dos provisórios poderá também, em raros casos, provocar alguma sensibilidade dentária, sendo que se for extrema, deverá entrar em contato connosco para agendarmos uma consulta de urgência.

Nesta fase, dê especial importância à escovagem da transição dente-gengiva, pois é a região que promove maior acumulação de placa bacteriana, responsável pela inflamação gengival. A saúde da sua gengiva é extremamente importante para facilitar a consulta de colocação das facetas dentárias, portanto, mantenha-a.

Pacientes que já finalizaram o tratamento mas que deveriam fazer controlo

Se tem mantido todos os cuidados por nós recomendados, não há motivo para alarme. Todos os doentes estão a ser monitorizados em termos de timings de reavaliação, sendo que quando possível, serão contatados para agendamento ou reagendamento das suas consultas.

Se depois de ler este artigo ainda ficou com dúvidas ou o seu caso não se enquadra em nenhum dos cenários descritos, estamos totalmente ao seu dispor, quer pelos meios tradicionais, quer pelas nossas redes sociais.

Esperamos estar de volta a 100% o mais rápido possível, até lá, façam a vossa parte e fiquem em casa.